Menu

MacKeeper: porque você NUNCA deve instalar isso no seu Mac

Não caia nessa armadilha! Conteúdo atualizado!

HellKeeper

Tenho visto muito usuário falando muita besteira e até recomendando esse arremedo de software, daí achei que preciso esclarecer algumas coisas aqui.

  1. NUNCA, JAMAIS instale o MacKeeper! Trata-se de um MALWARE (software malicioso, termo amplo usado para descrever vírus, spywares, trojans e etc.) disfarçado de software de manutenção que ainda quer que você pague por ele!
  2. Se você instalou o MacKeeper no seu computador (ou pior ainda, você pagou por isso), você acaba de cair num GOLPE.
  3. NÃO IMPORTA A SITUAÇÃO, NÃO USE O DESINSTALADOR QUE ELE OFERECE!!!! Seu sistema VAI FICAR INSTÁVEL!!! Ele vai criar um milhão de problemas no seu sistema pra convencê-lo que você precisa dele (sem falar no milhão de propagandas que vão aparecer em tudo quanto é canto do sistema). O procedimento mais recomendável é levá-lo num técnico de confiança (ou usar a restauração do sistema, caso você saiba o que está fazendo).

A empresa que o criou (ZeoBit LLC ou Kromtech Alliance, são efetivamente a mesma empresa) tem um longo histórico de softwares maliciosos disfarçados de utilitários de manutenção. Essa mesma empresa recorre a formas de publicidade que são, no mínimo, questionáveis: pop-ups e pop-unders elaborados, capazes de burlar a maioria dos bloqueadores usados atualmente; banners “pega-trouxa” apelativos; postagem de opiniões e reviews falsas; ou ainda a criação de sites falsos com endereços parecidos com o de concorrentes, que ludibriam o usuário pra instalar os softwares deles.

Na realidade, o sistema da Apple é muito estável e não precisa de manutenção frequente, desde que o usuário tenha um mínimo de boa postura (válido pro ruindows windows também):

  • Não saia por aí instalando tudo quanto é badulaque desnecessário! Você não precisa ficar sabendo a todo momento a temperatura do processador, a memória RAM disponível e a velocidade do ventilador. E se você é do tipo que instala bonequinhas dançantes, gatinhos que ficam perseguindo o mouse e programas que dão arrotos a cada tecla digitada, já caiu no meu conceito…
  • Coloque uma senha que seja efetiva no seu Mac. No meu post anterior eu já dei dicas sobre isso. Isso porque no mac, o sistema te pede uma senha de administrador antes de fazer qualquer alteração potencialmente danosa, então é uma forma de repensar se você realmente solicitou algo que precisa daquilo. Se ele pediu a senha do administrador sem que você esteja instalando um software novo, uma atualização ou alterando uma configuração, tem sujeira aí! Clique no botão de cancelar e, se o caso se repetir, leve o computador a um técnico.
  • Programas piratas são um problema em qualquer sistema, seja Mac, PC, Android ou iOS. Ninguém cria algo pra quebrar a proteção de um programa comercial (também chamado de crack) a troco de nada, ainda mais quando se sabe que pode ser processado e/ou obrigado a pagar uma multa (alta!!!) no futuro. Alguma sujeira tem aí! Além do mais, a Adobe, Apple e até a Microsoft estão com preços bastante razoáveis hoje em dia, o que não justifica esse risco.

Pra enterrar de vez, todas as funções prometidas pelo MacKeeper são melhor desempenhadas por outros utilitários, muitas vezes gratuitos ou já incluídos no sistema:

  • Anti-vírus: raramente necessário no Mac. A sua principal função no Mac é detectar infecções pra windows (isso mesmo!), mas pode ser necessário pra alguns usuários. Sugiro o ClamXav, que é gratuito, ou o Kaspersky Internet Security Multidispositivos, que é pago e muito bom.
  • Anti-roubo: o iCloud possui a função Find My Device, que também funciona pra Macs, iPhones, iPads e iPods Touch. Ela não funciona se o dispositivo não estiver conectado à internet, mas também é assim com o MacKeeper.
  • Encriptação: o Mac já possui o FileVault embutido, que só precisa ser ativado. Mas vale um aviso: se esquecer a senha dele, não tem como recuperar os dados!
  • Recuperação de arquivos apagados: técnicas de redução de fragmentação usadas pelo Mac OS X (e pelo Linux também) praticamente tornam essa função inútil! A melhor forma é um bom esquema de backup, descrito abaixo.
  • Backup: compre um disco rígido externo e ative o Time Machine nele. Mas não fique por aí plugando ele na USB de qualquer computador: deixe ele exclusivamente pra essa função e guarde-o em um local seguro, onde não seja manuseado, quando não estiver em uso. O Time Machine roda automaticamente, mas lembre-se de deixar o Mac ligado ou em sleep durante a noite pra que ele faça isso (notebooks devem ficar conectados à tomada). A Apple ainda disponibiliza o Time Capsule pra quem estiver com preguiça de plugar o drive USB toda noite, mas eu acho muito caro pro que oferece (pelo menos no Bra$il).
  • Remoção segura de arquivos (shredder): mova o arquivo pra lixeira, depois clique no menu do Finder (o que tem o nome “Finder” no Finder… dããhh…) e clique na opção “Secure Empty Trash…” (não sei como que está em português, só uso o Mac em inglês). Confirme em seguida.
  • Limpeza de cache: pra mim essa é balela… Raramente é necessário limpar o cache do sistema pra acelerá-lo, até porque a função do cache é ACELERAR O SISTEMA! Se ainda assim você precisar disso (ou achar que precisa, dá na mesma), use o OnyX, mas use somente esse link e tome cuidado com os sites falsos pra download dele (muitos instalam o MacKeeper no lugar…).
  • Monitoramento do uso de disco: vá no Finder, clique no menu “Go” e depois em “Computer”. Na janela que abrir, clique com o botão direito no disco que quiser e clique na opção “Get Info”. Procure pelos campos “Capacity” e “Available” (capacidade total e capacidade disponível, respectivamente).
  • Localizador de arquivos duplicados: seja organizado! Não há substituto melhor que isso! Se ainda assim precisar, use o dupeGuru.
  • Localizador de arquivos: use o Spotlight clicando no ícone da lupa à direita do relógio (ou pressionando juntas a tecla Command e a barra de espaço) e digitando o que quiser. Funciona até pra localizar o conteúdo do arquivo!
  • Desinstalador de aplicativos: outra balela… No Mac, com raras exceções, os programas são instalados e desinstalados de maneira simples: você copia o executável pra pasta de aplicativos pra instalá-lo e joga ele na lixeira pra desinstalá-lo. Os que não se enquadram nessa categoria (Adobe, por exemplo) oferecem o utilitário de desinstalação. Podem até ficar alguns traços do programa, tipicamente arquivos de configuração, mas eles são mínimos e não pesam quase nada (normalmente alguns kilobytes). As exceções à regra são os programas de edição de vídeo da Adobe (Premiere e After Effects), que até a versão CS6 (ainda não usei a CC) ainda armazenavam caches da ordem de gigabytes. Tem um comando específico pra isso nas preferências deles, procure por “Media” no Premiere ou “Media & Disk Cache” no After, mas só recomendo que sejam apagados em caso de necessidade absoluta, já que causa perda de links nos projetos.
  • Atualizador automático: a maioria dos aplicativos hoje em dia já conta com essa função de uma forma ou de outra. Os softwares adquiridos pela App Store são atualizados automaticamente por ela (a não ser que o usuário opte por desabilitar a atualização automática, aí ele tem que lembrar de abrir a App Store manualmente). Outros softwares contam com funções próprias de atualização, como o Microsoft Auto Updater do Office, o Adobe Updater dos softwares Adobe até CS6 e o Creative Cloud Desktop dos posteriores. Todos vêm configurados pra atualizar automaticamente, mas podem ser configurados pra atualização manual também.
  • Gerenciador de itens de login: fala sério… Não recomendo que o usuário fique fuçando aqui, mas a função existe: abra o “System Preferences”, depois vá em “Users & Groups” e clique no botão “Login Items” no painel da direita.
  • Gerenciador de aplicativos padrão: pra mim é desnecessário, já que no Mac os arquivos contam com a assinatura do programa que os criou (um JPEG criado pelo Photoshop vai abrir no Photoshop, outro criado pelo Preview vai abrir no Preview e aí vai). Mas quando se baixa um arquivo da internet ou se copia de um pendrive formatado como NTFS, FAT ou ExFAT, ele não tem a assinatura, aí ele recorre ao programa padrão do tipo de arquivo. Pra mudar isso, clique com o botão direito no arquivo, escolha a opção “Get Info”, procure pelo campo “Open with:” (costuma ficar reduzido, então clique na setinha ao lado dele pra expandir) e mude o aplicativo padrão pro tipo de arquivo. Simples!
  • Suporte remoto (serviço “Geek On Demand”): já acho um absurdo instalar gratuitamente um aplicativo de uma fonte tão pouco confiável, imagina então o que acho de comprar a versão completa ou, pior ainda, pagar uma mensalidade pra essa mesma fonte dar uma “manutenção” no meu computador! Na realidade, se você seguir essas recomendações, vão ser poucas as vezes que o seu Mac vai precisar de manutenção, não esquenta…

Basicamente é isso… Cuidem-se, cuidem das suas máquinas de trabalho e cuidado pra não fazer besteira nelas!

Atualização:

Os mais aventureiros podem procurar informações sobre como remover adwares e malwares em geral neste link. O autor é idôneo e já denunciou o MacKeeper várias vezes antes. Mas lembrem-se que vocês estarão por conta própria nisto!

47 Comments
  1. Bruna Valeria de Souza
    • Daniel Martins
  2. Larissa
    • Daniel Martins
  3. Stela
    • Daniel Martins
  4. Maria Viegas
    • Daniel Martins
  5. Karina
    • Daniel Martins
  6. Camilla Bezerra
    • Daniel Martins
  7. Lari
    • Daniel Martins
  8. PRISCILA HENRIQUES
    • Daniel Martins
      • Mariana
        • Daniel Martins
  9. Ricardo
    • Daniel Martins
  10. Eduardo Fetter
    • Daniel Martins
  11. Isis
    • Daniel Martins
  12. Maria
    • Daniel Martins
  13. karyna
    • Daniel Martins
  14. Marco Loureiro
    • Daniel Martins
  15. Lauren
    • Daniel Martins
  16. Sandro Adriane Gomes
    • Daniel Martins
  17. Adriel
    • Daniel Martins
      • Adriel
        • Daniel Martins
  18. Teodoro Campos
    • Daniel Martins
  19. Rafael ferreira
  20. Priscila
  21. felipe
  22. Margo
  23. Alice
  24. Fernanda
  25. Ed

Deixe uma resposta